FANDOM


Ionia School of Transcendentalism-0

O Placidium, Ionia

Ionia é um continente insular localizado ao leste de Valoran, Nordeste de Noxus.

História

Ionia Crest icon

Ionia é uma nação insular naturalmente bela cheia de árvores antigas, grandes montanhas e rios tranquilos. Toda a paisagem é coberta de grandes manchas de florestas cheia de vida.

Lugares

Existem atualmente 23 lugares conhecidos em Ionia.

Bosque Sagrado

O Bosque Sagrado, o local de origem de Soraka Soraka e casa antes de sua queda. É diretamente ligado à Ionia por um portal.

Montanha do Bardo

A montanha do Bardo é onde se localizam as Aldeias Flutuantes, que abrigava um incrivelmente poderoso artefato celestial, e foi o primeiro local recente onde Bardo Bardo apareceu para intervir nos negócios dos mortais.

Fortaleza Celestial

A Fortaleza Celestial, o castelo flutuante de Syndra Syndra, atualmente em algum lugar acima de Ionia.

Galrin

Uma ilha no meridional de Ionia.

Monastério Hirana

Monastério Hirana, no qual os monges são famosos pelo auto-controle, localizado em algum lugar nas regiões nordeste.

Canal de Jyom

Localizado no Sudeste da província de Zhyun, o Canal de Jyom foi onde Jhin Khada Jhin foi capturado por Kusho, Shen Shen e Zed Zed. O Festival do Florescer era realizado lá.

Capital Ioniana

A capital Ioniana, localizada no sudoeste da parte de Ionia, a noroeste de Navori.

O Jardim Lótus

O Jardim Lótus, um lugar sagrado principalmente usado como uma área de meditação, é encontrado na Capital.

Armaria de Kashuri

Localizado na parte Sul de Ionia, a armaria de Kashuri tem feito armas por muito tempo, a maioria delas espadas e arcos. A guerra contra Noxus mudou isso. Eles começaram a construir cópias medíocres de armas Hextech durante a guerra. Agora foram "inspirados" a construir novas armas aproveitando da mágica abundando em Ionia. Hextech utiliza um pouco de mágica de uma forma bem eficiente. As armas de Jhin Jhin utilizam muita mágica.

Monastério Kinkou

O Monastério de Kinkou, casa de um antigo clã de guerreiros, numa ilha do noroeste.

Vila do Master Yi

O local de nascimento de Master Yi Master Yi e da Arte do Wuju, foi destruída durante a invasão Noxiana.

Navori

Uma região localizada no sul do continente Ioniano.

Placidium

O Placidium, uma das estruturas mais icônicas de Ionia, é localizado no coração da nação, no topo de um dos seus maiores nexos. Essa construção é o lar da Escola de Transcendentalismo, uma organização dedicada a elevar a população de Runeterra aos patamares espirituais mais elevados possíveis. Essa escola é reconhecida por possuir Soraka Soraka como parte do órgão de gestão de regentes. Seres de toda Runeterra reúnem-se na escola, em busca dos segredos da iluminação espiritual. Muitos dos diplomatas bem sucedidos de Ionia gastaram pelo menos um tempinho estudando na escola de transcendentalismo.

O Jardim Sereno

O Jardim Sereno, o jardim em que a Grande Árvore cresce e a principal área dos eventos, e o Monastério Shojin, o local de arrependimento, são encontrados dentro de Placidium.

Shon-Xan

Região localizada ao leste de Navori.

Templo de Pallas

Localizado em algum lugar das regiões do sul.

Templo da Faca Dentada

O Templo da Faca Dentada é controlado pela Ordem das Sombras de Zed Zed. Foi saqueado por Gangplank Gangplank e sua tripulação.

Montanha Tevasa

Na base dessa montanha existe uma pequena e pacífica vila com aproximadamente cem pessoas. Durante a invasão Noxiana, saqueadores foram derrotados por 20px [[Ahri |]], que cresceu junto com todos os moradores e sentia um desejo de protegê-los do perigo.

Tuula

Uma cidade localizada ao Sul da montanhosa província de Zhyun. Foi em sua prisão onde Jhin Jhin foi inicialmente aprisionado por Kusho, Shen Shen e Zed Zed.

Zhyun

Uma província montanhosa no Sul de Ionia. Foi anteriormente atormentada pelo infame Jhin Demônio Dourado. Tuula e Canal de Jyom são localizados dentro dessa região. Antes da invasão Noxiana, Zhyun era conhecida por ter seu próprio conselho.

Cultura

A nação insular de Ionia é um paraíso para os seres que buscam evolução espiritual e iluminação. Embora povoada principalmente por humanos, alguns yordles e seres de única origem também fazem de Ionia sua casa. Existe muitos centros espirituais e escolas de iluminação em Ionia, cada uma trabalha em harmonia uns com os outros para encontrar respostas de questões místicas da vida. Por que nós estamos aqui? Quem somos nós? O que realmente significa a vida? Tais atividades deixam pouco tempo para pensamentos de imperialismo; os ionianos são extremamente pacíficos por natureza.

Os ionianos dedicam suas vidas na busca espirital da iluminação em vez de conflitos; que tipo de iluminação é até o indivíduo. Os místicos de Ionia mergulham em muitos mistérios, pioneiros na profundeza da espiritualidade. Enquanto muitos deles dedicam-se à busca da paz e luz, há aqueles que seguem diferentes caminhos. Alguns procuram a beleza da tristeza perpétua, uns a excitação das trevas, outros a vitalidade do primitivo. A maioria dos ionianos acham a violência desagradável e tentam não recorrer a usá-la na resolução de problemas. Isso não significa, no entanto, que eles são impotentes ou incapazes de se defender.

Diplomacia é uma arte em Ionia, e os diplomatas ionianos são reverenciados pelos cidadãos. Os tribunais ionianos são conhecidos em toda Valoran como paradigmas da igualdade e neutralidade. Os juízes ionianos são alguns dos mais procurados indivíduos políticos de todas as nações.

Governo

Ionia tem uma das estruturas de governo mais incomuns em toda Runeterra. Isso é parcialmente por causa de sua postura política neutra, também porque as pessoas em Ionia têm geralmente evitado conflitos em favor de sua interminável busca por iluminação. O poder e sabedoria daqueles que são considerados abençoados ou iluminados, tal como Soraka, a Filha das Estrelas, são tidos em conta uma grande quantidade de respeito.

A falta de envolvimento militar impediu Ionia da necessidade de um único líder definido, tal como as outras nações tem. Em vez disso, Ionia é dividida em províncias que são representadas por um Ancião. Para determinar quem torna-se Ancião, uma competição chamada "A Distinção" é realizada a cada cinco anos. Essa competição tem várias provas que testam seus candidatos através de uma ampla gama de habilidades. Escolas em cada região enviam seus melhores adeptos - homens e mulheres que tem seus corpos e mentes no caminho da iluminação - para representá-los na Distinção. Os Anciãos predominantes de cada região, em seguida, se reúnem na Convergência de Anciãos três vezes por ano ou sempre que o Ancião é chamado para uma assembléia de emergência. A Duquesa Karma, a Iluminada, reside entre eles. Por incrível que pareça, nunca houve uma luta de poder registrada dentro deste sistema, mas isso geralmente é pensado devido ao Julgamento de Humildade, um dos testes mais críticos e reverenciados na Distinção.

Várias Seitas

Os ionianos criaram algumas das mais notáveis formas de artes marciais de toda a Runeterra - a manifestação de sua busca por iluminação.

  • A Arte do Hiten é uma técnica de espadas desenvolvida pelo famoso espadachim Mestre Lito. Sua arte era um segredo muito bem guardado, mas foi dito que aquelas espadas iriam respirar em suas mãos. Quando Master Lito morreu, sua filha Irelia, a Vontade das Lâminas herdou Estilo Hiten. Irelia, desde então, elevou a forma de arte a novas alturas, pois ela é capaz de, telecineticamente, comandar várias lâminas. As armas dançam em torno de seu fluido, cortando adversários ao redor sem esforço.
  • A Arte do Wuju são princípios fundados sobre a obtenção de consciência espiritual absoluta de si mesmo e de um inimigo. Master Yi, o Espadachim Wuju, o portador dessa antiga arte, descendente de uma das poucas tribos dedicadas a preservação do Wuju. Devido ao massacre de sua família, Master Yi é agora um dos últimos praticantes de Wuju. Ele se comprometeu a manter o estilo Wuju vivo, ensinando a forma de arte a outros indivíduos, como o Wukong, o Rei Macaco.
  • O Monastério Hirana é a lar de muitos monges que mergulharam nas profundezas da espiritualidade. Seus adeptos são alguns dos defensores mais devotos da harmonia pessoal dentro de si mesmo. Embora alguns monges lastimam a violência, eles não são indefesos como são hábeis o suficiente para transformar e redirecionar os ataques de um oponente. Em um ato de altruísmo, os monges em Udyr, o Andarilho Espiritual e ensinou-lhe como aproveitar e controlar sua fúria animalesca... na maioria das vezes.
  • A Ordem de Kinkou existe como um antigo clã originário das Ilhas Ionianas dedicada à preservação do equilíbrio. Ordem e caos, luz e trevas - todas as coisas devem existir em perfeita harmonia, para tal é a forma do universo. A Ordem impõe um triunvirato de guerreiro das sombras para defender suas causas no mundo. Aos três guerreiros da sombra Shen, Kennen e Akali são confiados cada um dos três deveres sagrados: Observando as Estrelas, Seguindo o Sol, e Podando a Árvore. A Ordem porém, tem caído desde a formação da nova Ordem das Sombras.
  • A Ordem das Sombras é um novo clã que tem dedicado-se a aprender a arte proibida das sombras e matando qualquer um que se recuse a aprender. Seu líder, Zed, o Mestre das Sombras, foi o primeiro a aprender a técnica novamente depois de 200 anos. Ao usar a arte das sombras, eles foram capazes de derrubar a antiga Ordem de Kinkou e, desde então, utilizado suas terras como os seus próprios campos de treinamento.
  • O Monastério Shojin é o lar dos pacíficos monges que há muito tempo praticam a arte marcial de cura interior. Através da meditação, os monges são capazes de rejuvenescer a partir de lesões a um ritmo elevado. Alguns destes sacerdotes também podem exibir atos de força de vontade incrível, tais como sofrer com quantidades agonizantes de dor por semanas sem gritar. Lee Sin, o Monge Cego reside dentro do monastério, tendo viajado a anos na esperança de obter perdão por erros do passado.
  • O Templo Guardião Pallas foi um papel solitário dada apenas para os mais excepcionais guerreiros ionianos. Servindo como administrador do templo, o Guardião iria manter vigia sobre o Abismo do Pallas, um antigo poço de corrupção tão vil que muitos temiam que poderia envolver a ilha nas trevas. Infelizmente, essa posição reclusiva não existe mais. O último Guardião, Varus, a Flecha da Vingança, permitiu-se ser consumido pelas chamas negras do poço, obtendo mais poder para sua vingança contra Noxus.

Demografia

Ionia é um lugar visivelmente marcado por numerosos jardins e templos. Preserva a natureza e parques preencher os campos ionianos. A estética serena domina a paisagem, mesmo em seu porto e nos seus setores industriais. Edifícios são construídos com o objetivo de preservar o ambiente tanto quanto possível. Todas as estruturas de Ionia são ricamente decoradas, especialmente os templos. A magia é usada liberalmente na cidade, embora apenas para fins pacíficos. Várias das nações de maiores nexos foram moldadas em templos proeminentes e casas de contemplação comum.

Uma das mais icônicas estruturas de Ionia é o Placidium, localizado no coração da nação no topo de um dos seus maiores nexos. Este edifício abriga a Escola de Transcendentalismo, uma organização dedicada a aumentar a população de Runeterra às maiores alturas espirituais possíveis. A escola é mais conhecido por ter o campeão Soraka como parte de seu conselho de administração de regentes. Seres de toda Runeterra migram para a escola, buscando os segredos da iluminação espiritual. Muitos dos diplomatas mais bem sucedidos de Ionia passaram pelo menos algum tempo estudando na Escola de Transcendentalismo.

Línguas

Existem vários dialetos antigos falados em Ionia. Os dois conhecidos são falados por Karma e Yasuo. (O antigo ioniano Yasuo usa sons semelhantes a autêntica, apesar de um pouco falho, japonês).

  • Dialetos da Karma
    • Gaen Na Kyri Vi - Colher os ventos.
    • Ji - Dor.
    • Lath Rian Oune Vi - Tecer a linha.
    • Phyla - Tranquilidade.
    • Sae Eleisa Tera Vi - Descubra o significado.
    • Saera - Mágica.
  • Dialetos do Yasuo
    • Aseryo! - Impaciente/Você está impaciente (depende do contexto) ou Aurora do Dragão.
    • Choryon - Ancião; Filho! - A Kiai (grito de guerra).
    • Hasag - Quebrar/quebrando.
    • Hasagi - Corte.
    • Igei Ton - Os restos da madrugada/Exceto o amanhecer.
    • Son
    • Sorye - Pega isso.
    • Sorye Ge Ton - Rumo ao amanhecer/Para levantar ao alvorecer.
    • Ton - Estúpido.

História

A Batalha da Montanha Bardo

Tropas Noxianas tentaram capturar as Montanhas Bardo e obter o artefato celestial concedido aos Ionianos nas Aldeias Flutuantes. Durante a batalha, a sábio da aldeia foi encarregado de levar o artefato para um dos santuários celestiais no topo de um dos picos da aldeia. Os noxianos atacaram-no mortalmente com flechas antes que ele pudesse chegar ao santuário. Porém, como um último ato de desafio, ele usou o artefato para atacar o que seria seu assassino, obliterando ele e cortando uma montanha próxima ao meio (aparentemente hesitando em seus deveres). Esta má utilização do poder do ovo chamou a atenção de um Celestial, que prontamente interveio no evento. Ele recuperou o artefato e levou-o para longe do plano mortal, antes que os noxianos e ionianos usassem o seu poder para a guerra.

Invasão de Noxus

Desde a sua formação, os residentes de Ionia preferem buscar a iluminação pessoal do que travar constantes batalhas contra outras nações. A nação militarista de Noxus viram a sua "fraqueza" como uma oportunidade. Não mais em guerra direta com Demacia, Noxus tinha virado seu olho expansionista no sentido de conquistar aqueles que permaneceram fora da jurisdição Demaciana. Espiões noxianos começaram a negociar agressivamente com os ionianos, viajando à ilha para estudar suas fraquezas e identificar alvos críticos. Quando o plano foi formado, as forças noxianas golpearam.

As províncias do sul de Ionia foram os mais abertos ao comércio e também estavam entre os mais ricos. Foi lá que as forças noxianas desembarcaram sob o manto da noite. Depois de serem atendidos com uma pequena resistência, as forças de Noxus formou sua primeira praça de armas e começou a invasão. Mesmo a guerra sendo fortemente à favor de Noxus, os ionianos não se renderam. Em resposta da crescente resistência ioniana, Noxus trouxe mercenários de Zaun. Os cientistas loucas implementaram táticas indescritíveis, desencadeando suas cruéis criações contra civis não-combatentes. Estes atos de terror foram o que finalmente trouxe a ira completa dos ionianos.

Trazendo toda sua força e tradições marciais para resistir, a nação insular lutou ferozmente. O ponto de virada da guerra veio do "Grande Suporte de Placidium", onde os ionianos foçou os noxianos a parar sua investida e ceder tereno. Embora sofreram muitas baixas, os guerreiros ionianos eventualmente trouxeram aos invasores um impasse, empurrando-os de volta para as bases de poder da ilha. Apesar de suas perdas, as forças de Noxus permaneceu no controle de três das mais ricas províncias do sul - Galrin, Navori, e Shon-Xan.

O Último Guardião

Seguindo os eventos da última Invasão de Noxus, Varus, o Guardião do Templo Pallas, retornou à sua aldeia para descobrir que seu lar havia sido obliterado pela invasão. Varus jurou vingança contra todos os noxianos, mas precisava de mais poder para cumprir seu novo juramento. Com nada a perder, o instruído guardião virou-se para o Abismo de Pallas para ganhar a força necessária e executar sua vingança.

As chamas negras do Abismo consumiu seu corpo e transformou-o numa criatura agora conhecida como Varus, a Flecha da Vingança.

Julgamento pela ilha

Sete anos depois que a Invasão de Noxus começou, as Famílias Ionianas remanescentes, reunidas pela Duquesa Karma, decidiu que há apenas um recurso restante. Eles desafiaram publicamente Noxus com um duelo de seus melhores guerreiros. "Julgamento pela Ilha" foi entretanto um dos duelos mais conhecidos de todos os tempos. Infelizmente os ionianos perderam em meio à circunstâncias questionáveis​​. Alguns insistem que a vitória de Noxus veio como resultado de uma adulteração pré-duelo.

Os resultados do duelo permitiu que as forças noxianas ocupassem legitimamente as regiões do sul de Ionia. Os nativos ionianos foram tratados como cidadãos de segunda-classe pela elite noxiana no poder. Soldados, dissidentes políticos, e qualquer outro que intimidava os noxianos era enterrado em campos de trabalho. As forças noxianas continuaram a saquear as riquezas e recursos naturais da ilha, enviando os restos para Noxus. Havia muita pressão política externa, particularmente por parte de Demacia, para os invasores saírem. O Alto Comando Noxiano alegou que permaneçeriam lá para ajudar o desenvolvimento futuro da Ilha, e que eles iriam sair, uma vez que Ionia tinha sido modernizado o suficiente para competir economicamente no mundo e proteger-se das ameaças estrangeiras.

As Sombras Emitidas

Zed, um orfão, foi pego e treinado por um grande mestre ninja. Apenas um outro estudante parecia ser igual Zed - o filho do mestre, Shen. Para Zed, parecia que nunca iria ganhar a atenção do mestre, já que todos os duelos entre seu rival terminava em empate. Frustrado e com inveja, ele procurou uma vantagem. O jovem ninja aventurou-se em uma parte selada do templo do clã, onde ele encontrou uma sinistra caixa ornamentada. Sentindo o conhecimento da escuridão dentro, Zed sabia que não deveria abri-lo, no entanto, ele olhou-a dentro. No mesmo instante, as sombras tocaram sua mente, as técnicas que por muito tempo haviam sido escondidas, agora foram reveladas. Agora, armado com terrível segredo, ele desafiou Shen, e desta vez derrotou o filho do mestre. Ele esperava elogios e reconhecimento em seu momento de vitória, mas de alguma forma seu mestre sabia que Zed tinha usado meios proibidos e baniu-o.

Humilhado, o jovem ninja vagou durante anos. Sua amargura tornou-se ambição, e ele começou a treinar outros no Estilo das Sombras. Mas ele sabia que sem a caixa seu estilo nunca seria perfeito e, portanto, ele jurou que um dia voltaria lá e recuperaria a caixa.

Protesto do Monge Shojin

Oito anos se passaram antes que o sul de Ionia pudesse desafiar Noxus mais uma vez para a sua independência. No entanto, os protestos em Ionia estavam em aumentando, principalmente devido ao auto-sacrifício do monge Shojin Lee Sin no Jardim Lótus. Estas contestações públicas tiveram seus efeitos. Os ionianos alegaram que 15 anos era muito tempo concedendo estadia aos invasores, e que Noxus havia se aproveitado da nação. Demandas por uma revanche mais cedo foram feitas por Irelia, a Capitã da Guarda Ioniana, no comando do batalha. Apesar dos protestos noxianos que tais desafios estava a beira da ilegalidade, Ionia ganhou muito apoio no tribunal de opinião pública. Em um discurso surpreendentemente direto, Príncipe Jarvan IV, o Exemplar de Demacia, manifestou-se contra a ocupação noxiana. Ele afirmou que, se Noxus não abandonasse a nação insular, ele iria pessoalmente intervir nesse assunto.

Caminho para a Revanche

Como passou semanas, chanceler Malek Hawkmoon, o oficial encarregado de supervisionar a presença Noxiana em Ionia, voltou de uma conferência de emergência em Noxus. Hawkmoon deu uma resposta impressionante para os protestos em todo Valoran, afirmando que as exigências do lado de Ionia eram ilegais, era direito de Noxus conceder Ionia sua revanche antes dos termos serem processado. Caso Ionia desejasse confrontar Noxus em um duelo novamente para determinar o destino de províncias do sul, então Noxus iria aceitar os termos de uma revanche. A Convergência de Sábuis convocou uma assembléia imediatamente após o discurso de Hawkmoon.

Depois que a assembléia dos Sábios terminou, a Duquesa Karma anunciou que Ionia aceitaria a oferta de Noxus. As duas nações entrou em negociações para firmar os termos dos duelos. Ele foi finalmente determinado que se Ionia vencesse, Noxus deve retirar as todas as suas forças, e imediatamente suspender toda e qualquer exploração dos recursos dos ionianos. No entanto, se Noxus prevalecer, Ionia deve render completamente as províncias do sul para a nação de Noxus, e fornecer à um noxiano um lugar entre os Sábios ionianos. Isso daria a Noxus voz e ouvido dentro do governo de Ionia. Cinco campeões para cada lado foram escolhidos para representar suas nações para este duelo. Estes campeões viria a se reunir em uma única batalha para determinar o destino de Ionia.

Resultado da Revanche

O Revanche de Ionia contra Noxus terminou em uma vitória decisiva de Ionia sobre Noxus, permitindo aos ionianos recuperar suas províncias do sul. As forças noxianas começaram a se retirar destas regiões, os cidadãos de Galrin, Navori, e Shon-Xan comemoravam antes deles desocuparem completamente. As regiões que foram cortadas do resto de Ionia por sete anos, e os ionianos desceram para as ilhas para compartilharem alimentos, suprimentos e suporte. As reuniões lamentáveis entre famílias-separadas tornou-se comum durante toda Ionia. Muitos cidadãos se reuniram em massa nos Jardins Lótus. Eles esperaram ansiosamente o destino de Lee Sin, o monge queimado do Monastério Shojin, que incitou o protesto, entrando no meio das chamas. Foi só quando o monge foi recebido por sua irmã da província, liberada de Galrin, que permitiu-o que a chama se apagasse. Seus irmãos, em seguida, apressou-se e empolou o corpo do monge, levando-o rapidamente ao Monastério para o tratamento. A invasão, ocupação, protesto, e, finalmente, a libertação, neste longo capítulo da história de Ionia, finalmente chegara ao fim.

Celebrações da libertação noxiana

Os Jardins Lótus/Capital de Ionia/Ionia

06 de novembro, seis anos atrás.

O vento sopra suavemente por todo Jardins Lótus, em Ionia, as lanternas magicamente iluminadas balançava suavemente de lado a lado. Muitas pessoas estavam reunidas ao longo do pátio, com mesas cheias de iguarias tradicionais ionianas revestindo as passarelas. Pessoas de toda Ionia, vestindo suas roupas formais, tradicional de seus respectivos clãs, e militares vestindo uniforme comemorativo. Todos vieram para as festividades. Este Jardim particular, no entanto, não era frequentemente o lugar para tais festividades.

Várias figuras relevantes sentaram-se sobre a mesa no centro. Os campeões ionianos, Master Yi e Soraka, bem como outras figuras de liderança, tais como Randuin, líder do clã Kashuld, Shen representando a Ordem de Kinkou, e até mesmo a, agora, Imperatriz de Ionia, Karma.

Irelia se levantou de sua cadeira quando as conversas se aquietaram, dizendo: "Obrigado a todos pelo vosso apoio. Eu farei o meu melhor para honrar todos vocês como uma campeã, em nome de Ionia. Nossa luta ainda não acabou, mas devemos perdurar até nossas terras serem liberadas de nossos invasores noxianos. Nós devemos ser fortes e temos de aguentar, para o futuro de nosso povo. Eu escolhi este local para lembrar à todos a vontade de nossa nossa nação. Vamos seguir o caminho que o nosso irmão de Shojin abriu para nós", ela ergueu a taça na direção do monge em chamas para o canto do pátio, "Equilíbrio em todas as coisas! "

A multidão aplaudiu, a música começou a tocar... e as festividades começaram!

O Festival do Fogo

Ionianos de todas as províncias se reuniram sob os ramos floridos da Grande Árvore nos Jardins Sereno ontem, para o anual Festival de Fogo das nações. Uma tradição de início do verão. Este festival foi um símbolo da cultura Ioniana, celebrando a purificação e renascimento do espírito. As festividades começaram no início da manhã, com cidadãos adentrando os Jardins Serenos. Os vendedores estabeleceram-se em toda a volta do Jardim, oferecendo mercadorias e comidas tradicionais ionianas, trajes, e antigos armamentos. Os cidadãos se misturavam à sombra da Grande Árvore e escreviam suas aflições e preocupações em pergaminhos, para serem pendurados nos ramos da Árvore. Durante a noite, os ionianos foram tratados com várias performances musicais e teatrais, de histórias e lendas ionianas. A atração principal foi o desempenho de Shen e Akali, que realizaram A Lenda de Reina, uma lenda na qual uma antiga guerreira ioniano foi caçado por um espírito maligno. Akali ficou com o papel principal de Reina, vestido trajes formais de batalha ionianos, vermelho e branco, e à Shen foi concedido o papel do espírito que a atormentava, com as mesmas vestes, mas com uma máscara assustadora. Como diz a lenda, Reina fugiu do espírito durante anos mas, no entanto, ele sempre a encontrava e atormentava. Finalmente, Reina vestiu sua própria máscara para enfrentar o espírito, e quando ela se virou para enfrentá-lo, o espírito espantou-se e nunca mais segui-a novamente, assustado com a coragem da guerreira.

Quando o Sol se levantou pela manhã, e a Árvore estava quase escondido atrás de pergaminhos, um invocador Ioniano iluminou-os brevemente com chamas. Quando a magia se foi, o Sol iluminou-os através dos ramos da Grande Árvore. Mestre Hana, um juiz ioniano, afirmou que esta foi a maior lição do festival: de qualquer escuridão vem o maior de luz.

A Fortaleza Celestial

Durante seu treinamento, Syndra, a Soberana Sombia, descobriu que sua magia tinha parado de evoluir. Ela foi até seu mestre e exigiu uma resposta sobre isso. Ele disse que ele selou sua magia na esperança de que ela iria aprender a controlá-la e limitá-la. Enfurecida, ela o agrediu e exigiu que ele libertasse o selo. Seu mestre ameaçou que, se ela não aprende, ele seria forçado a tirar toda sua magia. Syndra ergueu seu mestre e esmagou-o contra a parede, matando-o e, finalmente liberando o selo. Ela se recusou a voltar para sua aldeia, então transformou o templo em sua fortaleza e levantou-a até o céu. Ela agora planeja a sua vingança contra os Sábios de Ionia.

Fim da Eternidade

A imortal Filha das Estrelas, Soraka, foi visitado em seu bosque escondido por um homem chamado Warwick. Em suas mãos jazia o corpo de sua falecida esposa. Warwick pediu a ela para reviver sua esposa, mas seus poderes não eram fortes o suficiente para ressuscitar os mortos. Ao ouvir isso, Warwick jurou que iria perseguir os demônios que assassinaram sua esposa.

Warwick ia até o bosque regularmente e, eventualmente, estabeleceu uma relação de amizade com Soraka. Um dia, Warwick descobriu quem matou sua esposa, mas ele queria vingança. Soraka suplicou contra a ideia de vingança, mas Warwick ignorou seus apelos. Soraka seguiu-o para tentar mantê-lo fora de perigo, apesar das advertências das estrelas. Ela entrou no reino mortal pela primeira vez e correu atrás dele. Quando ela o encontrou, Warwick estava sendo atacado. Ela tentou curar suas feridas, mas sem sucesso. Ela foi forçado a usar seus poderes para atacar e imediatamente tornou-se uma mortal. Quando ela foi até seu lado, Warwick a esfaqueou, mas ela mandou embora toda sua poderosam magia. Sem imortalidade e sem a orientação das estrelas, Soraka agora vive entre os mortais e procura trazer um fim ao sofrimento em Runeterra.

A Queda da Ordem de Kinkou

Um dia, Zed viu que seus seguidores e alunos eram agora um exército. Ele levou-os de volta ao templo para receber seu prêmio. Nos portões, ele ficou surpreso ao encontrar o velho mestre à espera, recebendo Zed e seus discípulos como se fossem convidados bem-vindos. O velho pôs a espada aos pés de Zed, declarando que ele havia falhado como o seu mestre. Banindo seu ex-aluno, o mestre tentou conduzi-lo novamente para o caminho do equilíbrio. O velho implorou à Zed para entrar no templo, destruir a caixa e trazer seus seguidores para o equilíbrio. O ninja sombrio seguiu o mestre até o interior do templo. Momentos depois, os ninjas ali reunidos escutaram o grito de Zed de dor. Misteriosamente, ele saiu ileso, e jogou a cabeça decepada do mestre aos pés de Shen. Gritando em fúria, Zed ordenou aos seus seguidores para dilacerarem os outros alunos do ex-mestre, e capturar a caixa.

Naquele dia, a velha ordem ninja caiu. Apesar de muitos estudantes terem morrido, alguns escaparam graças aos esforços heroicos de Shen. Agora, o templo é um campo de treinamento sombrio para a Ordem das Sombras. Zed governa como mestre da Ordem, e seu decreto é simples: a técnica é perfeita, e todos os ninjas que se recusarem a abraçar as sombras serão mortos.

Curiosidades

  • O nome "Ionia" vem de uma palavra do Grego Antigo de Ἰωνία, que quer dizer "Violeta". Ela também pode ser usado como um nome para garotas, devido seu significado feminino.
    • Existe um lugar real chamado Ionia, localizado em Anatolia, que já fez parte da Grécia Antiga, a atual Turquia.
    • Há também as ilhas ionianas localizadas na parte ocidental da Grécia atual.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória