FANDOM


As Ilhas das Sombras é uma misteriosa ilha localizada ao sudeste de Bilgewater. É uma terra assombrada povoada por seres mortos-vivos.

Lore

“As Ilhas das Sombras… dizem que elas não existem. Ilhas lendárias assombradas por fantasmas e espectros. Histórias para assustar crianças, mas eu sei que não é só isso. Eu estive lá. Eu sabia que havia algo de errado com aquele lugar assim que pisei lá pela primeira vez. Minha pele se contorceu e do fundo do meu estômago eu senti uma repulsa horrível. A vida não pertencia a aquele lugar. Mas eu também sabia que em algum lugar dentro de mim que as Ilhas me davam as boas vindas… elas me desejavam. Conforme eu andava para os lugares mais distantes, via a morte ao meu redor. Arvores e gramas fantasmagóricas me envolviam em seu esplendor horripilante. Era tudo muito quieto… e tão belo. Eu passei minha mão por uma folha espectral que tremulava ao vento… Vento este que não existia. Foi quando eu entendi que a morte era outro mundo e eu estava a sua porta. Foi quando eu ouvi a música; a canção das aranhas. Minha companhia soltou um grito de horror e ficou de joelhos. Eu o abracei dizendo-lhe que não havia nada a temer pois ele estava prestes a ir para um lugar melhor… Eu levarei todos para um lugar melhor”
― Elise
A terra hoje conhecida como Ilhas das Sombras outrora fora um reino estoneante, mas foi destruído por um cataclisma mágico. A Névoa Negra encobre as ilhas permanentemente e a própria terra está manchada, corrompida pela feitiçaria malevolente. Os seres vivos que agora encontram-se nas Ilhas das Sombras têm sua vida lentamente sugada deles, que, por sua vez, atraem os espíritos insaciáveis e predatórios dos mortos. Aqueles que perecem dentro da Névoa Negra são condenados a assombrar esta terra melancólica por toda a eternidade. Ainda pior, o poder das Ilhas das Sombras fica cada vez mais forte com o passar dos anos, permitindo que as sombras dos mortos aumentem seu alcance e ceifem almas por toda Runeterra.

Pouco se sabe sobre as misteriosas Ilhas das Sombras. Uns nevoeiros eternos e não naturais, cobriam as Ilhas para quem olhava de fora. Existem boatos de que as ilhas são as casas de inúmeras criaturas imortais, mas ninguém anseia para conhecer aquele lugar e descobrir a verdade.

A maior parte da história das Ilhas das Sombras vem dos dois altares misteriosos de Twisted Treeline, que diz fragmentos de sua história aos seus captores e dos registros dos campeões das Ilhas das Sombras da Liga.

Habitantes das Ilhas das Sombras

  • Mordekaiser, o Mestre do Metal, pertence a um lugar de alto domínio nas Ilhas das Sombras, mas não sabe-se ao certo.
  • Hecarim marcha por Valoran servindo as Ilhas das Sombras.
  • Maokai, viveu nessas ilhas antes mesmo deles serem tomadas pelas sombras.
  • Kalista foi invocada nas Ilhas das Sombras para caçar desertores e traidores.
  • Thresh, o Guardião das Correntes, é outra criatura que possui laços diretos com as Ilhas. Uma lenda diz que existiu um Guardião que tinha uma obsessão por torturar pessoas, e suas armas preferidas eram correntes. Não é uma surpresa de que o espírito de um monstro desse retornasse. Armado com correntes, seu maior propósito é encontrar almas valiosas, quebrar seu espírito e o corpo de seu hospedeiro e então leva-las para as Ilhas das Sombras, onde um desconhecido (mas muito mais aterrorizante) futuro os aguardavam.
  • Evelynn, a Criadora de Viúvas, é também uma criatura que acredita-se ser originada das Ilhas das Sombras. É claro ao vê-la e sobrevive-la, que ela não é nem um pouco humana. Algumas histórias dizem que ela foi amaldiçoada com alguma forma de vampirismo quando era criança. Dizem que ela tem a capacidade de sugar toda a vitalidade de seus inimigos, o que faz dela tolerar a luz do sol normalmente. Outra história sobre Evelynn conta que ela abusou da magia quando era criança, transformando-se em uma criatura devastadora e insaciável que vivia em busca de formas de vida.

Imigrações para as Ilhas

Algumas criaturas depravadas fizeram das temidas Ilhas a sua casa. A sua perversa obsessão pela morte levou Karthus, a Voz Mortal, por livre e espontânea vontade às Ilhas para juntar-se aos mortos. Outros, naturalmente, se mudam com algum propósito maior. Existem varias formas de morte e cada um deles é admirado. Para sair de um estado para o outro é necessária uma ajuda magia de um habilidoso profissional.

Yorick, o Coveiro, já morto, agora vive como barqueiro para os mortos e não mortos saírem e entrarem nas Ilhas.

Elise, a Rainha Aranha, viajou para lá por motivos religiosos. Ela cultua a deusa aranha, Maldibula. Todo ano ela retorna para as Ilhas com alguns discípulos cuidadosamente selecionados, então ela os entrega como comida para a sua deusa em troca de poder, juventude e beleza. Então ela retorna novamente para Valoran para pregar sobre sua deusa, e no próximo ano retornar com outra peregrinação.

História

O Ritual Devastador

"Ele foi um nobre rei, até que o pesar sobrepujou sua razão. No fim das contas, não foi a lâmina que roubou nossas vidas."
"Não se pode brincar com os poderes que governam a vida e a morte. A Coroa Quebrada é a recompensa de um rei por desafiar o envolvimento das sombras. Eu acredito que estamos destinados a ponderar a mortalidade através da poesias e versos, não escravizá-la à nossa vontade.
― Contador de Histórias Ioniano

Antes das Ilhas das Sombras se tornarem terras mortas, as ilhas eram locais de vida e beleza natural. Isso podia se comprovar pela floresta sagrada que se encontrava nas Ilhas: um paraíso com prósperas árvores e incontáveis espécies, ambas animais e espirituais. Quando o rei das Ilhas das Sombras ordenou para que seus sacerdotes quebrassem a barreira que separava a vida da morte, a floresta então se tornou um lugar de profunda magia. O ritual dos sacerdotes deu certo e eles então corromperam o ciclo da vida, liberando forças quais não conseguiram controlar. A força então se apoderou de cada forma de vida nas ilhas: grandes árvores se tornaram apenas cascas retorcidas, pessoas deformadas e transformadas em vultos e os espíritos se tornaram sombras vazias.

Maokai, o Ente Retorcido, o espírito mais forte da sagrada floresta, ficou horrorizado vendo todo o mundo em que ele vivia sendo destruído daquela maneira. Ele lutou para curar aquela ferida mas não pode com tamanha destruição causada pela tolice humana. Quando as energias do mal começaram a oprimir o grande espírito, ele fez uma ultima e desesperada tentativa para preservar a vida naquela terra. Maokai habitou o carvalho mais antigo daquela terra, que se localizava no coração do poder espiritual da floresta. Ele colheu toda a essência daquela ilha e colocou nessa árvore enquanto os espíritos malignos arranhavam e destruíam tudo em que se aproximavam. Saturado pela magia ilimitada, Maokai não podia consumir toda a energia sem fazer com que o seu espírito saísse ileso. Maokai então, saturado com tanta essência de vida e morte, terminou a sua fusão com o carvalho e tornou-se uma abominação. Durante eras, dor e tristeza eram as únicas companhias que o espírito tinha. Seus galhos cresceram grandes e pesados, lamentados pela desolação de tudo que ele conhecia e amava, e suas raízes se separaram do solo enquanto sua raiva pelos sacerdotes só aumentava por terem arruinado com sua casa. Mas nem tudo estava perdido. Maokai preservou a ultima faísca vital que pertencia à antiga Ilhas das Sombras, e com isso, tem esperança de trazer de volta a vida a aquela terra.

O tormento das Ilhas das Sombras foram aos poucos sendo atraídos pela energia vital que vivia em Maokai. O espírito protegia a semente da vida dos espíritos do mal, mas ele sabia que não ia conseguir proteger por muito tempo. Ele tinha que abandonar aquele lugar morto que tinha se tornado a sua casa, então ele se jogou no mar e pediu para que a natureza o levasse para outra terra. Onde ele tinha esperanças de encontrar forças para restaurar a vida nas Ilhas das Sombras.

Contos da Névoa Negra: O Tormento

A Névoa Negra cobre terra e mar, caçando os vivos - deixando-os indefesos aos horrores semi percebidos que ela carrega. Unidas à névoa, as pobres almas seguem para a Ilha das Sombras. Com o tempo, se esquecerão de amigos e amantes e até a si mesmos, tornando-se parte da terrível força que, a cada ano, cresce mais forte.

Um show de marionetes macabro mostra um conto familiar em Bilgewater, mas a neblina de hoje está especialmente densa...
― Passe o aviso da Névoa Negra adiante
“Existem muitos contos sinistros sobre as Ilhas das Sombras e da Névoa Negra que as envolve. E mesmo que todas as boas pessoas evitem essa terra amaldiçoada, as trevas vão em busca delas. A Névoa Negra vai e vem como as marés, mas existem épocas em que seu alcance vai bem além do mar. Procurando... Buscando... Matando... Esse período é conhecido como O Tormento. Durante o Tormento, os espíritos das Ilhas das Sombras avançam junto com a Névoa Negra. Caçando os vivos e alimentando as trevas. Depois que uma pessoa é tomada pelo Tormento não há mais como voltar a vida. Você é amaldiçoado e condenado a assombrar junto a névoa negra para sempre...”
― Desconhecido

O Lamento do Príncipe

Tire do banco o musgo que o está a impregnar, E escute aqui, o triste conto que irei narrar. Uma princesa jaz abaixo do solo, Ao rei, trazia orgulho, alegria, e uma beleza espetacular. Agora, às minhocas, sua carne iria alimentar. Seus traços eram lindos, agora sendo comidos.

Um príncepezinho chegou, um pretendente digno, Para cumprir sua missão, de casar com uma herdeira. O banquete de casamento foi sem igual Abençoado com um feito abissal. Um copo envenenado, e o rei desesperado. Para encontrar uma cura, o príncipe havia jurado.

Seu navio zarpou, cruzando o oceano, Com cavaleiros para acabar com a morte e seu sono profano. Após tempestades e milhas em ondas, Atraídos pelo vento de uma terra imortal, A própria tempestade sussurrava seu nome real. O lugar que fora nomeado Ilhas das Sombras.

Como um cão farejando o odor de sangue, Atraído sempre pelo lamento desesperado. Para uma ilha velada, ausente de todos os mapas. Não se ouvia o vento, ou pássaros, ou feras, Apenas espíritos de necromantes vindos de outras eras. Para o coração da ilha, os cavaleiros marcharam!

Mas árvores negras seu caminho bloquearam, Um golpe de ferro, um grito de ira. A Sombra da Guerra trouxe a derrota, Os homens do Príncipe foram assassinados. Eles morreram em vão, ele fugiu, acovardado, Seu amor pela vida era muito óbvio, precioso.

Perdido na escuridão, atormetado por espíritos assombrosos. Perseguido por espectros odiosos. Em um campo iluminado ao luar, E um monge fantasma englobado pela névoa. 'Ajude-me', ele pediu, 'Com espada e punho! Os espíritos são cruéis, seus corações não irão se curar'.

'Aqui, os homens são iguais e os pecados perdoados, Mas o orgulho fez essa terra ter defuntos amaldiçoados. Os mortos lutarão, nossas vidas são a recompensa. Guie-os e aguarde o crepúsculo, O sucesso lhe mostrará segredos há muito esquecidos, Se vencidos, voltar será nossa sentença.'

Eles lutaram como irmãos no cambo de batalha, Sobre os ossos de estudiosos renomados Contra os espíritos na escuridão, com fome infernal. O crepúsculo nunca chegara, mas a batalha acabou. O monge e o príncipe venceram! 'Diga, amigo! Conte segredos de vida eterna.'

O monge narrou contos de uma era esquecida Uma rainha ancestral, morta e decomposta. Do rei que resultou em dor e sofrimento, Que veio à ilha trazê-la de volta à vida, Mas que amaldiçoou o mundo de forma indefinida, Os espíritos dos mortos e o corvo da passagem.

Sua magia despertou um fardo terrível; Uma introdução sombria para a Voz Mortal. A névoa negra transbordou e a todos condenou. Mas espíritos saíram de todas as coisas mortas, Amaldiçoado à não-morte por este rei enlouquecido. Ele implorou por tudo com seu último suspiro.

Uma terra outrora abençoada, fora destruída, Dividida com raios e espancada por trovões. Fantasmas murmurram em suas covas consagradas. Enquanto banshees lotam as ruas assombradas, Lamentando suas derrodas sombrias, Uma maldição que abala toda a humanidade.

O príncipe ouviu, horrorizado, Ouvir este conto de alguém afastado. Ele tentou agradar ao rei de forma nua e crua, Mas os contos de morte e desastre; Desmascaram a todos com alastre. As mentiras do príncipe foram despidas pela lua.

O cálice de onde sua esposa esteve a beber, O príncipe envenenou para vê-la morrer. A riquesa e a coroa ele havia almejado;  Ele não desejou uma cura, mas uma vida imaculada, Sem ajuda para sua rainha, para sempre sufocada; Sua alma era sombria, seu pensamento depravado.

Ainda assim, sua noiva portava uma última maldição. Um feitiço de versos amargos. Justiça feita com seu suspiro final, A Lança da Vingança fora enviada para a caçada Para puní-lo por tal afronta E conseguir sua morte sangrenta.

A Névoa se fechou e chamou seu nome, Uma caçadora brilhou em meio à Névoa. Suas lanças de luz perfuraram seu peito, O chão gélido se abria grande e profundamente, O principezino escorregou espontaneamente, A pedido de sua vítima, nunca mais sair de seu leito.

Encoberto pela escuridão, morrendo de agonia, O príncipe sem coroa, jamais reinaria. Enterrado eternamente à terra sombria, O preço pago pela sua ambição jazia Não se deixe atordoar com tamanho golpe, A cobiça do príncipe foi um fator decisivo.

Uma luz pálida, fria e brilhante, Veio da terra, sua alma saltou em um voo rasante. Isso não foi uma prorrogação, mas tormento estonteante. O Guardião das Correntes foi atraído pelo seu odor. Dançando à voz da Voz Mortal e seu louvor 'Sua alma é minha', disse a fera chamada Thresh.

Então ele seguiu seu destino e o aprendeu bem, Evite as ilhas onde os mortos ainda espreitam. Busque fazer tudo o que lhe faz feliz, Coisas boas são as que são dignas de seu tempo. Uma vida bem vivida, apenas um pequeno lamento. Agora estamos fadados a perecer...

O Sol nasce após o Tormento

"Apesar da Névoa Negra se dissipar e as almas que ela coletou estarem prestes a esquecer seu passado em breve, a ameaça recente não será esquecida. Pior do que nos anos anteriores, resta àqueles que permaneceram vivos imaginarem onde ela voltará, e se alguém sobreviverá quando isso acontecer.

Black Mist Map.jpg

I - 1 Ano. A Batalha do Estreito das Facas. Uma armada de Bilgewater, liderada por Miss Fortune e pelo Capitão Gangplank - navegando juntos sob uma trégua incerta - encontra a Névoa Negra de frente. Muitas baixas contabilizadas. A frota se espalhou.

II - 1 Ano. A Âncora Afogada. Um elemento do Tormento parou. Relatos sugerem a presença de uma enorme figura em um traje de mergulho enferrujado no meio da batalha. III - 1 Ano. A Colheita da Angra dos Bandoleiros. Não houve sobreviventes.

IV - 3 Anos. A Batalha da Serpente. Um leviatã da Chama Azul é atraído à superfície por um invocador de serpentes para confrontar o Tormento. A Névoa Negra dispersou antes de chegar em Bilgewater, mas o gigante das profundezas é morto no processo.

V - 9 Anos. A Sombra Cai. A Névoa Negra sobrepuja as defesas do Farol Meridional, que é sugado às profundezas. Sua luz-guia para Bilgewater está perdida.

VI - 14 Anos. A Caçada Selvagem. Hecarim comanda uma legião espectral e destrói o Porto Cinzento. Apesar da brava resistência da frota pesqueira ancorada lá, nenhuma alma se salvou. Até hoje, o Porto Cinzento permanece inabitado.

VII - 21 Anos. A Morte do Conquistador. O enorme galeão Conquistador desce às profundezas, junto a 30 navios de batalha. Há quem diga ter visto o Conquistador acompanhando a Névoa Negra nos Tormentos seguintes.

VIII - 32 Anos. A Batalha de Porto Lamento. O revenã Mordekaiser lidera o Tormento em uma noite de matança, e Porto Lamento sucumbe às trevas. Diz-se que espectros passaram a assombrar suas ruas vazias.

IX - 17 Anos. A Armada Carmesim. Uma frota de guerra de Noxus é pega pela Névoa Negra. Mais de 30 navios perdidos. Não houve sobreviventes.

X - 37 Anos. O Turbilhão. A fragata Perdição do Portador da Luz é engolida pelo mar enquanto navegava fugindo da Névoa Negra.

XI - 49 Anos. A Mortalha. Há até meio século, este foi o período mais antigo de qualquer Tormento conhecido.

XII - 33 Anos. A Flor de Ionia. Uma frota ioniana de tamanho desconhecido é derrotada pelo Tormento.


Shadow Isles Crest divider.png

Como evidenciado aqui, o Tormento se tornou mais ousado e forte no decorrer da metade do século passado. Caso esta tendência continue, eu temo pelo futuro."

Curiosidades

  • Embora não sejam campeões das Ilhas das Sombras, Wukong, Twisted Fate e Vladimir tem skins com a temática das Ilhas das Sombras.
  • Nas Ilhas das Sombras, há um ditado, "A morte é apenas um novo começo.".
"À medida que a neblina se abriu e eu contemplei as Ilhas das Sombras pela primeira vez, senti imediatamente que algo estava ausente. Das águas misteriosamente plácidas da baía à calmaria morta do ar noturno, uma quietude sombria dominava o lugar - mesmo o mar e o céu. Até mesmo ao me preparar para ir à terra firme, a tripulação me implorava para que eu voltasse imediatamente ao continente."
“Apesar de seu tamanho, a enorme floresta erguia-se à nossa volta como um sepulcro, o ar frio e úmido e a quietude perversa criavam sensações crescentes de paranoia e horror. Meu companheiro implorou para que eu voltasse, mas um anseio primevo me impelia adiante, mais fundo nas trevas.“
  • A Espada do Rei Destruído é chamada assim depois de um misterioso "Rei" mencionado pelos Altares em Twisted Treeline como o governante das Ilhas das Sombras.
    • Acredita-se também que ele era responsável pelo estado atual das Ilhas das Sombras.
    • De acordo com Kalista, o homônimo "Rei" foi descrito como "um nobre rei, até que o pesar sobrepujou sua razão."
  • Os altares em Twisted Treeline sugerem:
    • A citação do altar ocidental, "Pelo Rei!", sugere a existência de um líder das Ilhas. Isto também foi confirmado no folclore de Maokai, e afirmou que seu desejo de quebrar as fronteiras entre a vida e a morte foi responsável pela situação atual das Ilhas das Sombras.
    • A citação do altar ocidental, "Este lugar era... tão bonito.", sugere que as Ilhas das Sombras, e todos os seus habitantes, foram transformados pelas Guerras Rúnicas ou por algum outro evento catastrófico. Esta último é confirmado na lore de Maokai.
    • A citação do altar oeste; "Eu te sivo, como eu devo, Mordekaiser."; e a do altar leste, "Eu te sirvo feliz, Mordekaiser!"; evidencia que Mordekaiser detém algum posto elevado nas Ilhas das Sombras, ainda mais evidenciado por sua antiga tradição que dizia que ele era um general morto-vivo.
    • A citação do altar oeste; "Não confie em Mordekaiser, Hecarim!", tendo em conta que Hecarim luta pelas Ilhas das Sombras, os objetivos reais de Mordekaiser não estão ligados as Ilhas, mas para os seus benefícios pessoais.
      • A citação do altar oeste; "Mordekaiser, você também é um prisioneiro?", provavelmente significa que a filiação de Mordekaiser as Ilhas das Sombras é forçada, e ele luta por esta seguindo seus objetivos pessoais, e não das ilhas.
      • Para além dos altares, a citação (a partir de sua antiga lore) “Todos tem a percepção que sua grande armadura é para protegê-lo, temo que – por um frágil momento – ela realmente nos protege.”, confirma um pouco a citação do altar oeste, que sua armadura pode ser a sua prisão.
    • A citação do altar oeste, "Lembre-se quem uma vez você foi, Hecarim!", sugere que Hecarim uma vez já foi humano, e viveu no período pré-cataclísmico das Ilhas das Sombras.
  • Hecarim marcha por toda Valoran em nome das Ilhas das Sombras.
  • Twisted Treeline foi inicialmente descrita como a última floresta viva de Zaun.
  • Como indicado no mapa da Névoa Negra, o próximo alvo da Névoa depois de Bilgewater é Piltover e Ionia.
  • Certos tipos de poros reside nas Ilhas das Sombras.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória